A Revista Veja escreveu assim, em 09/12/15. Disse Dilma: “Recebo com indignação a decisão do senhor presidente da Câmara dos Deputados de processar pedido de impeachment contra mandato democraticamente conferido a mim pelo povo brasileiro”. Mais uma vez, a nossa presidente demonstrou falta de amadurecimento político. Ela não parece saber que o impeachment (impedimento) é um dispositivo democrático e legal, aprovado pelo Congresso e, portanto, consentido pelo povo brasileiro, ao menos teoricamente. Em 16/12/15, essa mesma revista escreveu: “A máquina do atraso de Dilma – Como a presidente fez a indústria retroceder 65 anos, a política econômica voltar ao tempo do estatismo militar, a recessão punir os brasileiros como não ocorria desde 1981 e a inflação de 10% rugir depois de treze anos domada”. Isso aparece na capa da Revista Veja. A matéria é desenvolvida, com certa dose de brilhantismo, em algumas páginas interiores. Enquanto isso, a Dilma, acuada por todos os lados, apenas esperneia politicamente. Apelou para a Câmara dos Deputados, mas fracassou. Tentou Cunha, mas não deu certo. Voltou-se para Temer e se saiu mal. Procurou o Senado, mas foi posta pra correr. Ao mesmo tempo, aquela gente do nosso Congresso, no lugar de atender ao clamor popular, fica só andando de lado, elegendo comissão do impeachment, discutindo assuntos apenas regimentais (maldito Regimento e malditos todos aqueles que o fizeram e o sustentam), sem que cheguem ao que interessa ao povo: a cassação do mandato da Dilma. Acompanho bem de perto a vida política brasileira, desde os anos 50. Sempre vi o nosso povo bastante arredio a isso, mas agora, nestes últimos 15 anos, venho observando uma alteração no comportamento da nossa gente. Os mais humildes e mais incultos passaram a se interessar pelas coisas da Política e do nosso governo. São os taxistas, são os feirantes, é a gente simples que usa o metrô, que anda nas ruas e nas lojas, enfim, todos passaram a tomar conhecimento do nosso mundo político. E todos, demonstrando saber o que dizem, são críticos e até sarcásticos. O alvo é sempre a Dilma, o Lula, o Congresso Nacional, o PT. POR QUE SERÁ?

< Voltar